Telefone MapaComo Chegar Menu

AcquaBrasilis

Sistema de tratamento de água pluvial


A AcquaBrasilis apresenta, há muitos anos, ao mercado brasileiro, sistemas de aproveitamento de águas pluviais. As soluções variam desde modelos simples, de limpeza manual, até sistemas de limpeza automatizados, mais sofisticados.

Dentre os sistemas usados, o “AcquaMais” é um dispositivo que pode ser inserido na parte mais baixa de um coletor vertical de água pluvial e tem o objetivo de receber a água de chuva que chega pelo coletor. Com duas câmaras internas, permite o descarte da “primeira chuva” e deixa o restante ser filtrado pela passagem física por uma tela com abertura muito pequena. Este dispositivo, de fácil aplicação, atende totalmente as recomendações da norma brasileira NBR 15.527 – Água de chuva – Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis – Requisitos.

Após a passagem pelo “AcquaMais”, a água é, geralmente, enviada a um reservatório (cisterna) adequadamente dimensionado para atender o consumo previsto, tendo em vista o tamanho do telhado e o índice pluviométrico da região. À critério do projeto, uma bomba de água é ligada a uma tubulação que leva a água da cisterna até os pontos de consumo ou, se for o caso, para um reservatório mais alto, de onde pode ser distribuída por gravidade. Este processo, que permite uma boa filtração da água da chuva, pode ser aplicado em casas, galpões, edifícios residenciais e comerciais. Mas, para manter sua eficiência ao longo do tempo, implica a necessidade de manutenção periódica por meio de limpeza manual, na qual devem ser removidos os sólidos retidos no sistema.

Existem ainda soluções que prevêem o uso de filtros simples, com elementos filtrantes do tipo cartucho, que podem ser projetados para reter diversos tamanhos de partículas. Dependendo do teor de sujeira que venha com a água da chuva, estes filtros podem ficar saturados em pouco tempo e, para manterem sua eficiência, vão requerer uma manutenção por meio da substituição dos elementos filtrantes do tipo cartucho.

À critério do projeto há sistemas mais sofisticados, como filtros com várias camadas de material filtrante, que podem ter retrolavagem automática quando o meio filtrante se apresentar sujo. Estes filtros podem ser ligados automaticamente, por exemplo, sempre que alguém abrir uma torneira de água de reuso. Neste caso, uma bomba é acionada e faz a água de chuva armazenada num reservatório passar pelo filtro, receber cloro ao longo da tubulação e chegar ao ponto de consumo. Quando a torneira é fechada, a bomba para e todo o processo cessa. Quando as camadas filtrantes do filtro estiverem saturadas, outra bomba de retrolavagem é acionada e introduz a água sob pressão em sentido oposto à filtragem, fazendo com que os resíduos sejam expelidos do filtro automaticamente, sem a intromissão da mão humana.

Em todos os casos, é importante, também, prever um sistema de desinfecção confiável, visto que a água de chuva pode ser um meio de contaminação importante, por trazer resíduos dispersos no ar por onde passa, bem como, poder carregar consigo elementos contaminados oriundos, por exemplo, de animais mortos em telhados. Sugere-se, em geral, a cloração que é simples, barata e eficiente.

A AcquaBrasilis instalou, ao longo dos 14 anos de existência, 189 sistemas de filtração automáticos de vários tipos e 14 sistemas de limpeza manual “AcquaMais” em todo o Brasil, principalmente, em São Paulo, Goiânia, Brasília, Rio de Janeiro e Curitiba.